segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Admissão de novos elementos

Este domingo foi admitido mais um elemento para o nosso centro local....
.....Pedro campos passa a pertencer agora oficialmente, um acerimonia bonita, para um jovem que vai ser o futuro deste centro local.....

domingo, 28 de novembro de 2010

O Advento

O Advento é um dos tempos do Ano Litúrgico e pertence ao ciclo do Natal. A liturgia do Advento caracteriza-se como período de preparação, como pode-se deduzir da própria palavra advento que origina-se do verbo latino advenire, que quer dizer chegar. Advento é tempo de espera d’Aquele que há de vir. Pelo Advento nos preparamos para celebrar o Senhor que veio, que vem e que virá; sua liturgia conduz a celebrar as duas vindas de Cristo: Natal e Parusia. Na primeira, celebra-se a manifestação de Deus experimentada há mais de dois mil anos com o nascimento de Jesus, e na segunda, a sua desejada manifestação no final dos tempos, quando Cristo vier em sua glória.

O tempo do Advento formou-se progressivamente a partir do século IV e já era celebrado na Gália e na Espanha. Em Roma, onde surgiu a festa do Natal, passou a ser celebrado somente a partir do século VI, quando a Igreja Romana vislumbrou na festa do Natal o início do mistério pascal e era natural que se preparasse para ela como se preparava para a Páscoa. Nesse período, o tempo do Advento consistia em seis semanas que antecediam a grande festa do Natal. Foi somente com São Gregório Magno (590-604) que esse tempo foi reduzido para quatro domingos, tal como hoje celebramos.

Um dos muitos símbolos do Natal é a coroa do Advento que, por meio de seu formato circular e de suas cores, silenciosamente expressa a esperança e convida à alegre vigilância. A coroa teve sua origem no século XIX, na Alemanha, nas regiões evangélicas, situadas ao norte do país. Nós, católicos, adotamos o costume da coroa do Advento no início do século XX. Na confecção da coroa eram usados ramos de pinheiro e cipreste, únicas árvores cujos ramos não perdem suas folhas no outono e estão sempre verdes, mesmo no inverno. Os ramos verdes são sinais da vida que teimosamente resiste; são sinais da esperança. Em algumas comunidades, os fiéis envolvem a coroa com uma fita vermelha que lembra o amor de Deus que nos envolve e nos foi manifestado pelo nascimento de Jesus. Até a figura geométrica da coroa, o círculo, tem um bonito simbolismo. Sendo uma figura sem começo e fim, representa a perfeição, a harmonia, a eternidade.

Na coroa, também são colocadas quatro velas referentes a cada domingo que antecede o Natal. A luz vai aumentando à medida em que se aproxima o Natal, festa da luz que é Cristo, quando a luz da salvação brilha para toda humanidade. Quanto às cores das quatro velas, quase em todas as partes do mundo é usada a cor vermelha. No Brasil, até pouco tempo atrás, costumava-se usar velas nas cores roxa ou lilás, e uma vela cor de rosa referente ao terceiro domingo do Advento, quando celebra-se o Domingo de Gaudete (Domingo da Alegria), cuja cor litúrgica é rosa. Porém, atualmente, tem-se propagado o costume de velas coloridas, cada uma de uma cor, visto que nosso país é marcado pelas culturas indígena e afro, onde o colorido lembra festa, dança e alegria.

Pe. Agnaldo Rogério dos Santos
Reitor dos Seminários Filosófico e Teológico
da Diocese de Piracicaba

1º Domingo do Advento

A liturgia deste domingo apresenta um apelo veemente à vigilância. O cristão não deve instalar-se no comodismo, na passividade, no desleixo, na rotina; mas deve caminhar, sempre atento e sempre vigilante, preparado para acolher o Senhor que vem e para responder aos seus desafios.
A primeira leitura convida os homens – todos os homens, de todas as raças e nações – a dirigirem-se à montanha onde reside o Senhor… É do encontro com o Senhor e com a sua Palavra que resultará um mundo de concórdia, de harmonia, de paz sem fim.
A segunda leitura recomenda aos crentes que despertem da letargia que os mantém presos ao mundo das trevas (o mundo do egoísmo, da injustiça, da mentira, do pecado), que se vistam da luz (a vida de Deus, que Cristo ofereceu a todos) e que caminhem, com alegria e esperança, ao encontro de Jesus, ao encontro da salvação.
O Evangelho apela à vigilância. O crente ideal não vive mergulhado nos prazeres que alienam, nem se deixa sufocar pelo trabalho excessivo, nem adormece numa passividade que lhe rouba as oportunidades; o crente ideal está, em cada minuto que passa, atento e vigilante, acolhendo o Senhor que vem, respondendo aos seus desafios, cumprindo o seu papel, empenhando-se na construção do “Reino”.
in CEP

Parabéns JMV

Foi um dia especial para todo o mundo JMV, e nós por cá centramo-nos numa oraçao muito profunda , mas construtiva para abrir novos caminhos, novas direcções.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

33º Domingo do Tempo Comum

A liturgia deste domingo reflecte sobre o sentido da história da salvação e diz-nos que a meta final para onde Deus nos conduz é o novo céu e a nova terra da felicidade plena, da vida definitiva. Este quadro (que deve ser o horizonte que os nossos olhos contemplam em cada dia da nossa caminhada neste mundo) faz nascer em nós a esperança; e da esperança brota a coragem para enfrentar a adversidade e para lutar pelo advento do Reino.
Na primeira leitura, um “mensageiro de Deus” anuncia a uma comunidade desanimada, céptica e apática que Jahwéh não abandonou o seu Povo. O Deus libertador vai intervir no mundo, vai derrotar o que oprime e rouba a vida e vai fazer com que nasça esse “sol da justiça” que traz a salvação.
O Evangelho oferece-nos uma reflexão sobre o percurso que a Igreja é chamada a percorrer, até à segunda vinda de Jesus. A missão dos discípulos em caminhada na história é comprometer-se na transformação do mundo, de forma a que a velha realidade desapareça e nasça o Reino. Esse “caminho” será percorrido no meio de dificuldades e perseguições; mas os discípulos terão sempre a ajuda e a força de Deus.
A segunda leitura reforça a ideia de que, enquanto esperamos a vida definitiva, não temos o direito de nos instalarmos na preguiça e no comodismo, alheando-nos das grandes questões do mundo e evitando dar o nosso contributo na construção do Reino.
in CEP

terça-feira, 2 de novembro de 2010

video do Festival no YouTube

Festival da JMV, em Fátima

 Fornos de Algodres e Carapito arrecadaram dois prémios: - Melhor Musica e 2º Lugar...
- Ariana: Letra
- Fernando: Voz e Guitarra
- Jerôme:2ª Voz e cajon
...- (Rafael: Guitarra e teclas)
- Pedro: Voz
- Tita: Voz
- Helena: 2ª Voz
Mas todos os grupos estão de parabéns pela participação.
Fonte: Facebook

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Dia de Todos-os-Santos



Hoje é Dia de Todos-os-Santos, em honra de todos os santos e mártires que, não tendo um dia consagrado para a sua celebração, são, neste dia, adorados em conjunto. No entanto, a população aproveita este dia, feriado nacional, para lembrar os familiares que já morreram. As famílias comemoram, assim, por antecipação, o Dia dos Fiéis Defuntos, que se assinala amanhã, dia 2 de Novembro, em honra de todos os que já partiram. A tradição dita que as pessoas vão ao cemitério enfeitar as sepulturas dos seus entes queridos que já faleceram, com velas e flores, em honra à sua memória.

Ontem o presidente local Fernando Melo esteve de parabéns

Muitos parabéns, que este dia seja um dia de grande alegria e muita felicidade e tudo de bom esteja reservado.
Muitos beijinhos e abraços de todos os membros do centro local.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

30º Domingo do Tempo Comum

A liturgia deste domingo ensina-nos que Deus tem um “fraco” pelos humildes e pelos pobres, pelos marginalizados; e que são estes, no seu despojamento, na sua humildade, na sua finitude (e até no seu pecado), que estão mais perto da salvação, pois são os mais disponíveis para acolher o dom de Deus.
A primeira leitura define Deus como um “juiz justo”, que não se deixa subornar pelas ofertas desses poderosos que praticam injustiças na comunidade; em contrapartida, esse Deus justo ama os humildes e escuta as suas súplicas.
O Evangelho define a atitude correcta que o crente deve assumir diante de Deus. Recusa a atitude dos orgulhosos e auto-suficientes, convencidos de que a salvação é o resultado natural dos seus méritos; e propõe a atitude humilde de um pecador, que se apresenta diante de Deus de mãos vazias, mas disposto a acolher o dom de Deus. É essa atitude de “pobre” que Lucas propõe aos crentes do seu tempo e de todos os tempos.
Na segunda leitura, temos um convite a viver o caminho cristão com entusiasmo, com entrega, com ânimo – a exemplo de Paulo. A leitura foge, um pouco, ao tema geral deste domingo; contudo, podemos dizer que Paulo foi um bom exemplo dessa atitude que o Evangelho propõe: ele confiou, não nos seus méritos, mas na misericórdia de Deus, que justifica e salva todos os homens que a acolhem.
in CEP

domingo, 17 de outubro de 2010

29º Domingo do Tempo Comum

A Palavra que a liturgia de hoje nos apresenta convida-nos a manter com Deus uma relação estreita, uma comunhão íntima, um diálogo insistente: só dessa forma será possível ao crente aceitar os projectos de Deus, compreender os seus silêncios, respeitar os seus ritmos, acreditar no seu amor.
O Evangelho sugere que Deus não está ausente nem fica insensível diante do sofrimento do seu Povo… Os crentes devem descobrir que Deus os ama e que tem um projecto de salvação para todos os homens; e essa descoberta só se pode fazer através da oração, de um diálogo contínuo e perseverante com Deus.
A primeira leitura dá a entender que Deus intervém no mundo e salva o seu Povo servindo-Se, muitas vezes, da acção do homem; mas, para que o homem possa ganhar as duras batalhas da existência, ele tem que contar com a ajuda e a força de Deus… Ora, essa ajuda e essa força brotam da oração, do diálogo com Deus.
A segunda leitura, sem se referir directamente ao tema da relação do crente com Deus, apresenta uma outra fonte privilegiada de encontro entre Deus e o homem: a Escritura Sagrada… Sendo a Palavra com que Deus indica aos homens o caminho da vida plena, ela deve assumir um lugar preponderante na experiência cristã.
in ecclesia

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Fátima assinala 93 anos da última aparição mariana

Peregrinos de 27 países estão inscritos na principal missa da Peregrinação Internacional de Outubro
Mais de cinco mil peregrinos de 27 países estão inscritos na principal missa da Peregrinação Internacional Aniversária ao Santuário de Fátima que se realiza amanhã, 13 de Outubro.
Itália é o país mais representado nos 125 grupos que anunciaram a sua presença, com cerca de 1200 fiéis, seguindo-se Portugal, com mais de 750.
O início oficial da peregrinação, presidida pelo arcebispo da diocese brasileira de São Salvador da Bahia, D. Geraldo Agnelo, está marcado para as 18h30 desta Terça-feira, na Capelinha das Aparições.
A celebração de abertura principia com a saudação em várias línguas feita pelo bispo de Leiria-Fátima, D. António Marto, seguindo-se a evocação das aparições de Maria a três pastorinhos, ocorridas entre Maio e Outubro de 1917.
O primeiro momento da peregrinação termina com uma oração pelas necessidades da Igreja e do mundo.
D. Geraldo Agnelo regressa ao recinto pelas 21h30, presidindo ao rito de acendimento das velas a partir de um único círio, gesto seguido da oração do terço, cujo núcleo consiste na recitação de 50 ave-marias divididas em cinco mistérios, ou seja, meditações sobre a vida de Cristo.
Após o terço dá-se início à procissão de velas, que precede a missa, marcada para as 22h30, e dez minutos antes da meia-noite arranca a “procissão do silêncio”, antecedendo uma noite de vigília em oração.
As duas primeiras horas de 13 de Outubro são reservadas à adoração do Santíssimo Sacramento – hóstia consagrada que, pelo sacramento da Eucaristia, é o próprio corpo de Jesus –, no interior da basílica, seguindo-se, das 2h00 às 3h30, a via-sacra, procissão que acompanha com momentos de meditação e oração os últimos passos da vida de Jesus até à morte e se­pul­tura.
A madrugada prossegue com uma celebração mariana na Capelinha das Aparições, marcada para as 3h30, e uma hora mais tarde começa a missa na basílica.
Entre as 5h30 e as 7h00 prevê-se a adoração ao Santíssimo Sacramento, acompanhada da oração litúrgica de Laudes, que assinala o amanhecer.
A partir das 7h00 começa a procissão do Santíssimo Sacramento, no espaço aberto do Santuário, que inclui a meditação de textos bíblicos e uma caminhada dividida em cinco etapas, que se concluirá com a bênção da hóstia consagrada aos fiéis.
A celebração final da peregrinação principia às 9h00 com o terço, na Capelinha das Aparições, seguindo-se, pelas 10h00, a missa, presidida por D. Geraldo Agnelo.
Antes do fim da eucaristia os peregrinos recebem a bênção com o Santíssimo Sacramento, a que se segue a bênção de objectos religiosos e imagens, o convite à consagração pessoal ao “Imaculado Coração de Maria” – com um silêncio de meio minuto - e a procissão do adeus.
O tema para 2010 do Santuário de Fátima é “Reparte com alegria, como a Jacinta”, alusão a uma das pastorinhas a quem Maria apareceu, no ano em que se assinala o 10.º aniversário da sua beatificação e da do seu irmão, Francisco Marto.
in ecclesia

domingo, 10 de outubro de 2010

28º Domingo do Tempo Comum

A liturgia deste domingo mostra-nos, com exemplos concretos, como Deus tem um projecto de salvação para oferecer a todos os homens, sem excepção; reconhecer o dom de Deus, acolhê-lo com amor e gratidão, é a condição para vencer a alienação, o sofrimento, o afastamento de Deus e dos irmãos e chegar à vida plena.
A primeira leitura apresenta-nos a história de um leproso (o sírio Naamã). O episódio revela que só Jahwéh oferece ao homem a vida e a salvação, sem limites nem excepções; ao homem resta acolher o dom de Deus, reconhecê-l’O como o único salvador e manifestar-Lhe gratidão.
O Evangelho apresenta-nos um grupo de leprosos que se encontram com Jesus e que através de Jesus descobrem a misericórdia e o amor de Deus. Eles representam toda a humanidade, envolvida pela miséria e pelo sofrimento, sobre quem Deus derrama a sua bondade, o seu amor, a sua salvação. Também aqui se chama a atenção para a resposta do homem ao dom de Deus: todos os que experimentam a salvação que Deus oferece devem reconhecer o dom, acolhê-lo e manifestar a Deus a sua gratidão.
A segunda leitura define a existência cristã como identificação com Cristo. Quem acolhe o dom de Deus torna-se discípulo: identifica-se com Cristo, vive no amor e na entrega aos irmãos e chega à vida nova da ressurreição.
in CEP

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Encontro da Família Vicentina

O VI Encontro Nacional da Família Vicentina realizou-se hoje, em Fátima , no Centro Pastoral Paulo VI, como é normal o centro local de Fornos esteve bem representado.

domingo, 3 de outubro de 2010

27º Domingo do Tempo Comum

Na Palavra de Deus que hoje nos é proposta, cruzam-se vários temas (a fé, a salvação, a radicalidade do “caminho do Reino”, etc.); mas sobressai a reflexão sobre a atitude correcta que o homem deve assumir face a Deus. As leituras convidam-nos a reconhecer, com humildade, a nossa pequenez e finitude, a comprometer-nos com o “Reino” sem cálculos nem exigências, a acolher com gratidão os dons de Deus e a entregar-nos confiantes nas suas mãos.
Na primeira leitura, o profeta Habacuc interpela Deus, convoca-o para intervir no mundo e para pôr fim à violência, à injustiça, ao pecado… Deus, em resposta, confirma a sua intenção de actuar no mundo, no sentido de destruir a morte e a opressão; mas dá a entender que só o fará quando for o momento oportuno, de acordo com o seu projecto; ao homem, resta confiar e esperar pacientemente o “tempo de Deus”.
O Evangelho convida os discípulos a aderir, com coragem e radicalidade, a esse projecto de vida que, em Jesus, Deus veio oferecer ao homem… A essa adesão chama-se “fé”; e dela depende a instauração do “Reino” no mundo. Os discípulos, comprometidos com a construção do “Reino” devem, no entanto, ter consciência de que não agem por si próprios; eles são, apenas, instrumentos através dos quais Deus realiza a salvação. Resta-lhes cumprir o seu papel com humildade e gratuidade, como “servos que apenas fizeram o que deviam fazer”.
A segunda leitura convida os discípulos a renovar cada dia o seu compromisso com Jesus Cristo e com o “Reino”. De forma especial, o autor exorta os animadores cristãos a que conduzam com fortaleza, com equilíbrio e com amor as comunidades que lhes foram confiadas e a que defendam sempre a verdade do Evangelho.
in CEP

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Oração a S.Miguel Arcanjo- nosso padroeiro



miguel_arcanjo1
in semprealegria

D. Ilídio Convoca Sínodo para Renovar a Igreja Diocesana

A preparação do Sínodo irá iniciar-se em Outubro. D. Ilídio Leandro explica os objectivos do Sínodo Diocesano, a realizar ao longo de dois anos, após os três de preparação que se iniciarão em 10 de Outubro.
A realidade actual da Igreja diocesana caracteriza-se pela grande diminuição do número de padres, pelo despovoamento do mundo rural e pelo envelhecimento da população.
Esta realidade impõe uma reorganização das estruturas eclesiais e uma adequação dos meios humanos e dos recursos, de modo a ser possível uma maior eficácia na evangelização.O tempo de preparação do Sínodo irá ser dedicado a uma longa e profunda reflexão, partindo dos documentos mais marcantes do Concílio Vaticano II, que aconteceu há 50 anos e ainda hoje estão longe de serem aprofundados e aplicados em toda a sua força renovadora. Com base nesses documentos conciliares, a Igreja visiense é convidada a avaliar o seu modelo organizativo, aprofundando a consciência de que "a comunhão eclesial existe para a missão".O avivar dessa consciência fará apelo à renovação da diocese, tornando-a uma Igreja, ao mesmo tempo, "celebrativa, evangelizadora e solidária".Na sua Carta Pastoral, D. Ilídio Leandro apela aos seus fiéis para que "se entusiasmem por acolher, abraçar e realizar todas as dinâmicas, etapas e propostas que forem sendo encontradas, sugeridas e reflectidas ao longo do caminho" de preparação e realização do Sínodo.Esta preparação e realização do Sínodo "exige, a todos e a cada um dos cristãos da Igreja de Viseu, o maior empenho, a máxima generosidade, a melhor atenção", de coração aberto à mudança que o imperativo evangélico traz consigo.As formas de celebrar a fé, de formar os fiéis, de transmitir a mensagem evangélica e de exercer a caridade e a solidariedade junto dos mais necessitados, tudo terá que ser reflectido profundamente, perante as mudanças que a sociedade sofreu, transformando-se numa sociedade nova, que exige formas novas de a Igreja responder às suas necessidades, envolvendo leigos, religiosos e padres, movimentos e departamentos eclesiais.O arranque do Sínodo terá início com a realização de uma Assembleia Diocesana, no próximo dia 10 de Outubro, no Pavilhão Multiusos de Viseu, localizado no Campo de Viriato (Feira de S. Mateus). Nesta Assembleia se apresentará o que é um sínodo diocesano, quais os conteúdos de reflexão e a metodologia a seguir neste Sínodo da Diocese de Viseu.D. Ilídio apela à oração intensa de todos os fiéis, para que o Espírito Santo possa agir sem entraves no coração e na mente de todos os que se dispuserem a fazer a caminhada sinodal, escutando Deus e dando uma "resposta fiel e alegre aos desafios" que a sociedade coloca à Igreja presentemente.
in diocese de Viseu

Dia de São Vicente de Paulo – 27 de setembro


O Santo dos pobres sem odiar os ricos.
O Santo do corpo conservado inteiro na Rue de Sevrés, Paris.

=
in Etiquetas:

domingo, 26 de setembro de 2010

26º Domingo do Tempo Comum

A liturgia deste domingo propõe-nos, de novo, a reflexão sobre a nossa relação com os bens deste mundo… Convida-nos a vê-los, não como algo que nos pertence de forma exclusiva, mas como dons que Deus colocou nas nossas mãos, para que os administremos e partilhemos, com gratuidade e amor.
Na primeira leitura, o profeta Amós denuncia violentamente uma classe dirigente ociosa, que vive no luxo à custa da exploração dos pobres e que não se preocupa minimamente com o sofrimento e a miséria dos humildes. O profeta anuncia que Deus não vai pactuar com esta situação, pois este sistema de egoísmo e injustiça não tem nada a ver com o projecto que Deus sonhou para os homens e para o mundo.
O Evangelho apresenta-nos, através da parábola do rico e do pobre Lázaro, uma catequese sobre a posse dos bens… Na perspectiva de Lucas, a riqueza é sempre um pecado, pois supõe a apropriação, em benefício próprio, de dons de Deus que se destinam a todos os homens… Por isso, o rico é condenado e Lázaro recompensado.
A segunda leitura não apresenta uma relação directa com o tema deste domingo… Traça o perfil do “homem de Deus”: deve ser alguém que ama os irmãos, que é paciente, que é brando, que é justo e que transmite fielmente a proposta de Jesus. Poderíamos, também, acrescentar que é alguém que não vive para si, mas que vive para partilhar tudo o que é e que tem com os irmãos?
in CEP

Parabens para as amigas Ana Teresa e Joana Santos

muitos parabéns e que este dia tenha sido maravilhoso, com muitas coisas boas e tudo tenha corrido pelo melhor...
Beijinhos de todos os membros do centro local....


Feliz Aniversario, Parabens

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Diocese de Viseu prepara reorganização

Carta Pastoral de D. Ilídio Leandro explica objectivos do Sínodo e apresenta assembleia diocesana que marca o arranque de um processo que termina em 2015
Diminuição de padres, despovoamento rural, subida do número de habitantes nos centros urbanos e envelhecimento da população são alguns dos factores que levam a diocese de Viseu a ponderar a sua reestruturação.
A avaliação do modelo organizativo é uma das cinco prioridades enunciadas na mais recente Carta Pastoral do bispo de Viseu, D. Ilídio Leandro, na qual se sintetizam as finalidades do sínodo diocesano, que decorre entre 2010 e 2015.
O prelado pretende que estes cinco anos, marcados pelo tema “Da Comunhão para a Missão”, sejam a base da “renovação” da diocese, tornando-a “celebrativa, evangelizadora e solidária”, segundo as linhas fundamentais do Concílio Vaticano II (1962-1965).
D. Ilídio Leandro frisa que este objectivo só será possível se os fiéis “se entusiasmarem por acolher, abraçar e realizar todas as dinâmicas, etapas e propostas que forem sendo encontradas, sugeridas e reflectidas ao longo do caminho”.
O projecto, assinala o texto, “exige, a todos e a cada um dos cristãos da Igreja de Viseu, o maior empenho, a máxima generosidade, a melhor atenção”, impondo igualmente a “inteira e afectiva disponibilidade do coração” do bispo de Viseu.
O itinerário sínodal pretende também reorganizar a celebração da fé, mudar o esquema de formação dos fiéis, transformar o modo como se anuncia a mensagem cristã e rever o envolvimento da Igreja na acção solidária, “tendo em conta um sério programa de revisão de comportamentos e de intervenção social”.
O documento, intitulado “O Sínodo na diocese de Viseu”, descreve genericamente a assembleia que marca o início do envolvimento dos leigos, religiosos e padres representantes dos movimentos e departamentos eclesiais.
O programa do encontro, a realizar a 10 de Outubro no Pavilhão Multiusos de Viseu, inclui a apresentação do Sínodo e do seu itinerário, além da indicação dos “conteúdos fundamentais” e da “metodologia a seguir”, sobretudo no primeiro ano (2010/2011).
A Carta Pastoral termina com um apelo à oração, que “deve ocupar o primeiro lugar” no roteiro sinodal, com vista a proporcionar a “escuta de Deus” e a “resposta fiel e alegre aos desafios” que a sociedade coloca à Igreja.
O sínodo é um órgão consultivo convocado pelo bispo, cujas decisões só podem ser publicadas com a sua autorização.
in Ecclesia

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Parabens para a amiga e assessora Prof. Fernanda Cunha

Muitos parabéns, que este dia seja um dia de grande alegria e muita felicidade e tudo de bom esteja reservado.
Muitos beijinhos de todos os membros do centro local.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Parabens para a amiga Sofia

Feliz aniversário

Um momento especial de renovação para sua alma e seu espírito, porque Deus, na sua infinita sabedoria, deu à natureza, a capacidade de desabrochar a cada nova estação e a nós capacidade de recomeçar a cada ano.
Desejo a você, um ano cheio de amor e de alegrias.
Afinal fazer aniversário é ter a chance de fazer novos amigos, ajudar mais pessoas, aprender e ensinar novas lições, vivenciar outras dores e suportar velhos problemas.
Sorrir novos motivos e chorar outros, porque, amar o próximo é dar mais amparo, rezar mais preces e agradecer mais vezes.
Fazer Aniversário é amadurecer um pouco mais e olhar a vida como uma dádiva de Deus.
É ser grato, reconhecido, forte, destemido.
É ser rima, é ser verso, é ver Deus no universo;
Parabéns a você nesse dia tão grandioso.
in Pensador/info

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Parabens ao amigo Rafael

Que este dia seja muito feliz, tudo de bom e já agora felicidade e boa sorte para esta nova etapa académica que agora se vai iniciar.
Feliz aniversário.
Beijinhos e abraços

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Recepção ao Padre Valmour


Foi assim apresentado o nosso novo Paroco, para o nosso arciprestado, o padre Valmour.
Muitas felicidades e bom trabalho nesta sua nova casa.

sábado, 11 de setembro de 2010

24º Domingo do Tempo Comum

«Trazei depressa a melhor túnica e vesti-lha»
O filho regressa a casa do pai e exclama : «Pai, pequei contra o céu e contra ti, já não mereço ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus assalariados.» [...] Mas o pai acorreu, e acorreu de longe. «Quando ainda éramos pecadores, Cristo morreu por nós» (Rom 5, 8). O Pai acorreu [...] na pessoa do Filho, quando por Ele desceu do céu à terra. «O Pai que me enviou está Comigo», diz Ele no evangelho (Jo 16, 32). E lançou-se-lhe ao pescoço: lançou-Se a nós quando, por Cristo, toda a Sua divindade desceu do céu e Se instalou na nossa carne. E cobriu-o de beijos. Quando? Quando «se encontraram a compaixão e a verdade, se abraçaram a justiça e a paz» (Sl 84, 11).
Mandou trazer-lhe a melhor túnica, a túnica que Adão tinha perdido, a glória eterna da imortalidade. Pôs-lhe um anel no dedo: o anel da honra, o título de liberdade, o especial penhor do espírito, o sinal da fé, a caução das núpcias celestes. Ouve o que diz o apóstolo Paulo: «Desposei-vos com um único esposo, como virgem pura oferecida a Cristo» (2Cor 11, 2). E calçou-lhe umas sandálias: para termos os pés calçados quando anunciamos a boa nova do evangelho, a fim de que sejam «os pés daqueles que anunciam a boa nova da paz» (Is 52, 7; Rom 10, 15).
Por ele mandou matar o vitelo gordo. [...] O vitelo foi morto por ordem do pai porque Cristo, o Filho de Deus, não podia ser morto contra a vontade do Pai. Ouve novamente o apóstolo Paulo: «Ele não poupou o Seu próprio Filho, mas O entregou por todos nós» (Rom 8, 32).
in evangelho quotidiano

domingo, 5 de setembro de 2010

23º Domingo do tempo comum

Oferecer a Deus o nosso verdadeiro tesouro

Muitos dos que, para seguirem a Cristo, tinham desprezado fortunas consideráveis, enormes quantias de ouro e de prata e propriedades magníficas, mais tarde deixaram-se apegar a um raspador, a um estilete, a uma agulha, a um junco de escrita. [...] Depois de terem distribuído todas as suas riquezas por amor a Cristo, retiveram a sua anterior paixão e colocaram-na em futilidades, sendo capazes de se deixar levar pela cólera para as reter. Não tendo a caridade de que fala São Paulo, a sua vida foi tocada pela esterilidade. O bem-aventurado apóstolo previu essa infelicidade: «Ainda que eu distribua todos os meus bens e entregue o meu corpo para ser queimado, se não tiver amor, de nada me aproveita», dizia (1Cor 13, 3). Prova evidente de que não atingimos de imediato a perfeição pela simples renúncia a todas as riquezas e pelo desprezo de todas as honras, se a isso não juntarmos essa caridade cujas características o apóstolo descreve.
Ora esta caridade apenas se encontra na pureza do coração. Porque rejeitar a inveja, a arrogância, a ira e a frivolidade, não procurar o próprio interesse, não se alegrar com a injustiça, não guardar ressentimento e tudo o resto (1Cor 13, 4-5), que é tudo isso se não oferecer continuamente a Deus um coração perfeito e muito puro e mantê-lo isento de toda a moção das paixões? Assim, a pureza do coração será o fim último das nossas acções e dos nossos desejos.
in evangelho quotidiano

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

I Encontro dos antigos JMV´s do nosso centro local

Vai realizar-se o 1ºencontro de antigos JMV´s do centro local de Fornos de Algodres, uma experiência nova aqui,mas que a nível nacional tem dado resultado, o objectivo é voltar a juntar, alguns daqueles que noutras épocas contribuíram para o desenvolvimento do nosso centro local.
o dia será o 11 de Setembro,a concentração está marcada para as 16h, junto ao largo da misericórdia, para assim assistir e animar a Eucaristia vespertina, segue-se um momento de oração e de convivio, onde de vão reviver bons momentos e depois o jantar vai ter lugar em Viseu, na Feira de S.Mateus.
onde para este encontro estao convidados todos os actuais membros para assim existir uma maior interligação.
uma boa oportunidade de todos nos conhecer-mos melhor.......

domingo, 29 de agosto de 2010

22º Domingo do Tempo Comum

A liturgia deste domingo propõe-nos uma reflexão sobre alguns valores que acompanham o desafio do “Reino”: a humildade, a gratuidade, o amor desinteressado.
O Evangelho coloca-nos no ambiente de um banquete em casa de um fariseu. O enquadramento é o pretexto para Jesus falar do “banquete do Reino”. A todos os que quiserem participar desse “banquete”, Ele recomenda a humildade; ao mesmo tempo, denuncia a atitude daqueles que conduzem as suas vidas numa lógica de ambição, de luta pelo poder e pelo reconhecimento, de superioridade em relação aos outros… Jesus sugere, também, que para o “banquete do Reino” todos os homens são convidados; e que a gratuidade e o amor desinteressado devem caracterizar as relações estabelecidas entre todos os participantes do “banquete”.
Na primeira leitura, um sábio dos inícios do séc. II a.C. aconselha a humildade como caminho para ser agradável a Deus e aos homens, para ter êxito e ser feliz. É a reiteração da mensagem fundamental que a Palavra de Deus hoje nos apresenta.
A segunda leitura convida os crentes instalados numa fé cómoda e sem grandes exigências, a redescobrir a novidade e a exigência do cristianismo; insiste em que o encontro com Deus é uma experiência de comunhão, de proximidade, de amor, de intimidade, que dá sentido à caminhada do cristão. Aparentemente, esta questão não tem muito a ver com o tema principal da liturgia deste domingo; no entanto, podemos ligar a reflexão desta leitura com o tema central da liturgia de hoje – a humildade, a gratuidade, o amor desinteressado – através do tema da exigência: a vida cristã – essa vida que brota do encontro com o amor de Deus – é uma vida que exige de nós determinados valores e atitudes, entre os quais avultam a humildade, a simplicidade, o amor que se faz dom.
in CEP

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Iniciou-se o Encontro Nacional JMV 2010

Mais um encontro onde o nosso centro local marca presença com 5 elementos.
26 a 29 de Agosto de 2010
Felgueiras
Dia 26 - Quinta-feira
16h00 – Acolhimento
21h00 – Convívio
- Apresentação dos Centros Locais
21h30 - Abertura do Encontro
Dia 27 - Sexta-feira
08h45 - Pequeno-almoço
09h20 - Oração da manhã
09h45 - Sectores
11h00 - Subtema
12h50 - Almoço
14h30 - Convívio
15h00 - Subtema
16h30 - Lanche
17h15 – Workshop musical
18h00 - Subtema
18h50 - Jantar
21h00 - Celebração Penitencial
Dia 28 - Sábado
08h45 - Pequeno-almoço
09h20 - Oração da manhã
09h45 - Sectores
11h00 - Subtema
12h50 - Almoço
14h30 - Convívio
15h00 – Subtema
16h00 – Workshop musical
16h30 - Lanche
17h00 – Subtema
18h00 - Eucaristia
19h30 - Jantar
21h00 – Saída para Felgueiras – Oração Mariana
22h30 – Noite Cultural
Dia 29 - Domingo
09h00 - Pequeno-almoço
09h40 - Oração da manhã
10h00 – Sectores
10h30 - Conselho Nacional
11h15 – Reunião de Regiões
11h45 – Preparação da Eucaristia
12h00 – Eucaristia
13h00 - Almoço

uma boa iniciativa para a nossa juventude...

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Oração dos Emigrantes

"Processo nosso que está no consulado
Venha a nós o vosso pedido
Seja feito o nosso exame médico
Assim no tempo que nos deu
Consulado nosso de cada dia
Nos dai hoje uma resposta
Sejais paciente comigo
assim como nós somos pacientes convosco.
E não nos deixeis nos descabelarmos,
Amém."

"Ave Maria João, cheia de tarefas
Nosso processo esta convosco
Bendita sois vos entre o consulado
e bendito é fruto do vosso trabalho,
o nosso Visto Santa Maria João,do Consulado
Apressai-vos por nós, os imigradores
Agora e na hora do nosso visto.
Amém..."
in Canada...sonho

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Vamos todos receber a Cruz dos jovens

12 de Agosto
Viseu/Guarda

10h00: Caminhada com a cruz (do Seminário de Fornos de Algodres até à Igreja Matriz);
10h30: Acolhimento no Adro e entronização na Igreja
12h-18h00: Adoração contínua
18h00: Eucaristia
19h-21h00: Adoração da Cruz
21h00: Concerto com Claudine Pinheiro e Vigília de Oração
23h00: Entrega aos jovens do Algarve

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Parabéns ao amigo António Pacheco

Que este dia lhe traga muita coisas boas e felicidade, feliz aniversário.
beijinhos e abraços dos elementos do centro local.

19º Domingo do Tempo Comum

A Palavra de Deus que a liturgia de hoje nos propõe convida-nos à vigilância: o verdadeiro discípulo não vive de braços cruzados, numa existência de comodismo e resignação, mas está sempre atento e disponível para acolher o Senhor, para escutar os seus apelos e para construir o “Reino”.
A primeira leitura apresenta-nos as palavras de um “sábio” anónimo, para quem só a atenção aos valores de Deus gera vida e felicidade. A comunidade israelita – confrontada com um mundo pagão e imoral, que questiona os valores sobre os quais se constrói a comunidade do Povo de Deus – deve, portanto, ser uma comunidade “vigilante”, que consegue discernir entre os valores efémeros e os valores duradouros.
A segunda leitura apresenta Abraão e Sara, modelos de fé para os crentes de todas as épocas. Atentos aos apelos de Deus, empenhados em responder aos seus desafios, conseguiram descobrir os bens futuros nas limitações e na caducidade da vida presente. É essa atitude que o autor da Carta aos Hebreus recomenda aos crentes, em geral.
O Evangelho apresenta uma catequese sobre a vigilância. Propõe aos discípulos de todas as épocas uma atitude de espera serena e atenta do Senhor, que vem ao nosso encontro para nos libertar e para nos inserir numa dinâmica de comunhão com Deus. O verdadeiro discípulo é aquele que está sempre preparado para acolher os dons de Deus, para responder aos seus apelos e para se empenhar na construção do “Reino”.

AssembleiaJMV Internacional um sucesso

Ao que parece a assembleia internacional da JMV foi um sucesso em Portugal.
Parabéns à equipa organizadora.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Parabéns para a amiga Ana Isabel

O dia de ontem foi muito importante para a nossa amiga Ana Isabel, pois completou mais um anito,muitas felicidades e muitas coisas boas, beijinhos de toda a malta do centro local.........

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Convivio jovem na Serra da Estrela




Este sábado,foi um dia especial para os jovens das paróquias do Padre Abel, uma deslocação á Serra da Estrela, mas concretamente á zona da Lagoa Comprida,inicialmente foram 12, os que iniciaram a caminhada pela natureza e tempo ainda para dar um mergulho nas aguas naturais, à tarde,juntou-se mais um jovem, prevazendo treze,rumou-se então até Manteigas, com diversas paragens para observar a bonita paisagem e os diversos pontos interessantes que esta maravilha representa,depois de uma pausa no parque do Covão D´Metade,era hora de observar uma das candidatas ás sete maravilhas, o Vale Glaciar, uma verdadeira beleza.
novamente a subida á serra para uma relexão e depois o regresso a Fornos.
uma experiencia positiva, na medida que ajudou a criar laços entre todos os participantes.
Uma iniciativa a repetir.

sábado, 24 de julho de 2010

17º Domingo do Tempo Comum

O tema fundamental que a liturgia nos convida a reflectir, neste domingo, é o tema da oração. Ao colocar diante dos nossos olhos os exemplos de Abraão e de Jesus, a Palavra de Deus mostra-nos a importância da oração e ensina-nos a atitude que os crentes devem assumir no seu diálogo com Deus.
A primeira leitura sugere que a verdadeira oração é um diálogo “face a face”, no qual o homem – com humildade, reverência, respeito, mas também com ousadia e confiança – apresenta a Deus as suas inquietações, as suas dúvidas, os seus anseios e tenta perceber os projectos de Deus para o mundo e para os homens.
O Evangelho senta-nos no banco da “escola de oração” de Jesus. Ensina que a oração do crente deve ser um diálogo confiante de uma criança com o seu “papá”. Com Jesus, o crente é convidado a descobrir em Deus “o Pai” e a dialogar frequentemente com Ele acerca desse mundo novo que o Pai/Deus quer oferecer aos homens.
A segunda leitura, sem aludir directamente ao tema da oração, convida a fazer de Cristo a referência fundamental (neste contexto de reflexão sobre a oração, podemos dizer que Cristo tem de ser a referência e o modelo do crente que reza: quer na frequência com que se dirige ao Pai, quer na forma como dialoga com o Pai).

in CEP

Novo Pároco no nosso Arciprestado

D. Ilídio Leandro acaba de proceder a um conjunto de nomeações, visando "o bem da Igreja, nesta Diocese de Viseu". As nomeações são feitas para os próximos cinco anos. No caso dos Párocos, a nomeação é por seis anos.
Para o Gabinete de Informação, nomeou Felisberto Figueiredo, que será também Secretário do Sínodo Diocesano.
No âmbito da Administração Diocesana, é reconduzido nas funções de Ecónomo, por um novo período, o Pe. Armando Esteves Domingues.
Ao Secretariado Diocesano das Vocações, Juventude e Ensino Superior presidirá o Pe. António Jorge Santos Almeida, sendo Secretariado por Andreia Sofia Coelho Marques. Hélio da Silva Domingues será o Tesoureiro, ficando como Vogais Carlos Miguel Baptista Ferreira (Comunicação e Imagem), Ir. Glória Pacheco de Sousa (Vocações), Pe. Marco José Pais Cabral (Juventude) e Profª Célia dos Prazeres Ribeiro (Ensino Superior).
O Secretariado Diocesano das Migrações e Mobilidade será presidido pelo Pe. António Gomes de Matos, tendo como Vogais Inocêncio Mendonça, Rosalina Mendonça e Anunciação Amaral.
No âmbito do exercício do múnus pastoral, o Arciprestado de Carregal do Sal terá os Padres Carlos Miguel Nunes Pereira Monge e Marco José Pais Cabral como Párocos "in solidum" de Beijós, Cabanas de Viriato, Currelos e Sobral, cabendo ao Pe. Marco o papel de Moderador.No Arciprestado de Fornos de Algodres, o Pe. Valmor Marcolin, juntamente com o Pe. Abel Ferreira Rodrigues e o Pe. José Carlos dos Santos Bento, serão Párocos "in solidum" de todas as Paróquias, cabendo ao Pe. Abel Ferreira as funções de Moderador.
in diocese de viseu

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Assembléia Geral Internacional Lisboa 2010

Parabens a todos JMV´s

Celebraram ontem os 180 anos da primeira aparição de Nossa Senhora a Santa Catarina de Labouré e do pedido que se fundasse uma associação de jovens (a JMV).
Maria chama a atenção de Catarina a respeito da situação angustiante das crianças e dos jovens que sofrem com a injustiça, marginalização e indiferença.
Ela expressa, claramente, o seu desejo de ver surgir uma Associação a serviço dos jovens para lhes dar uma educação humana e cristã.
Assim nasceu a Juventude Mariana Vicentina!
Que esta pequena-grande história nos faça relembrar as nossas origens e nos dê novo fogo para a Caridade-Missão!

"À noite, Catarina escuta uma voz que pronuncia o seu nome..."
Caro amigo JMV
Deus vem ao teu encontro, chama-te pelo teu nome e dá-te capacidade para O identificar e cria as condições mais propícias para Se revelar. É Ele quem nos escolhe e dá uma função/ministério na sua seara. cabe a nós dar-Lhe ouvidos ou fazer orelhas moucas, aceitar ou recusar os seus planos.
Naquela noite de 18 para 19 de Julho de 1830 Deus quis dirigir-se aos homens e encontrou naquela jovem chamada Catarina o canal para dar a conhecer a sua mensagem. E assim, as trevas da noite deram lugar à LUZ porque Catarina aceita o convite. Ela descobre um caminho luminoso. E no caminho lá aparece o Anjo, qual mestre de cerimónias ou cicerone das coisas belas, conduzindo e monitorizando cada passo e gesto...
Deus coloca pessoas e factos no nosso caminho que nos guiam, mesmo que seja na noite da dúvida, mesmo que os outros estejam dormindo ou anestesiados na fruição do imediato e do efémero, mesmo que pareça que somos os únicos (e muito poucos) acordados. No final há um encontro, uma festa, luzes acesas: "Eis aí a Santíssima Virgem!"
Celebramos mais um aniversário da primeira aparição da Virgem Santíssima a Catarina Labouré às portas da realização da III Assembleia Geral. Este é o lema que nos congrega: “JMV, enraizados em Cristo, semeemos a esperança”. Aceitemos o desafio e saibamos empreender o caminho da renovação e conversão pessoal que, qual fermento na massa, possa fazer fermentar e crescer o entusiasmo e a responsalidade no serviço à caridade e à missão.
Neste mundo coberto das negras nuvens do desespero saibamos ser apóstolos das ESPERANÇA.
Parabéns a todos e que a Santíssima Virgem vos cumule com as sua graças.

Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós
in JMV.ning

domingo, 18 de julho de 2010

16º Domingo do Tempo Comum

As leituras deste domingo convidam-nos a reflectir o tema da hospitalidade e do acolhimento. Sugerem, sobretudo, que a existência cristã é o acolhimento de Deus e das suas propostas; e que a acção (ainda que em favor dos irmãos) tem de partir de um verdadeiro encontro com Jesus e da escuta da Palavra de Jesus. É isso que permite encontrar o sentido da nossa acção e da nossa missão.
A primeira leitura propõe-nos a figura patriarcal de Abraão. Nessa figura apresenta-se o modelo do homem que está atento a quem passa, que partilha tudo o que tem com o irmão que se atravessa no seu caminho e que encontra no hóspede que entra na sua tenda a figura do próprio Deus. Sugere-se, em consequência, que Deus não pode deixar de recompensar quem assim procede.
No Evangelho, apresenta-se um outro quadro de hospitalidade e de acolhimento de Deus. Mas sugere-se que, para o cristão, acolher Deus na sua casa não é tanto embarcar num activismo desenfreado, mas sentar-se aos pés de Jesus, escutar as propostas que, n’Ele, o Pai nos faz e acolher a sua Palavra.
A segunda leitura apresenta-nos a figura de um apóstolo (Paulo), para quem Cristo, as suas palavras e as suas propostas são a referência fundamental, o universo à volta do qual se constrói toda a vida. Para Paulo, o que é necessário é “acolher Cristo” e construir toda a vida à volta dos seus valores. É isso que é preponderante na experiência cristã.

in CEP

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Parabens para a amiga Ana Lúcia

Assim a nossa amiga ana Lúcia esteve de parabéns nesta quarta-feira, aqui deixamos as maiores felicidades e que este dia tenha sido cheio de felicidade e grande alegria para ela.
Parabéns e beijinhos de todos os seus amigos deste centro local.

sábado, 10 de julho de 2010

15º Domingo do Tempo Comum

A liturgia deste domingo procura definir o caminho para encontrar a vida eterna. É no amor a Deus e aos outros – dizem os textos que nos são propostos – que encontramos a vida em plenitude.
O Evangelho sugere que essa vida plena não está no cumprimento de determinados ritos, mas no amor (a Deus e aos irmãos). Como exemplo, apresenta-se a figura de um samaritano – um herege, um infiel, segundo os padrões judaicos, mas que é capaz de deixar tudo para estender a mão a um irmão caído na berma da estrada. “Vai e faz o mesmo” – diz Jesus a cada um dos que o querem seguir no caminho da vida plena.
A primeira leitura reflecte, sobretudo, sobre a questão do amor a Deus. Convida os crentes a fazer de Deus o centro da sua vida e a amá-lo de todo o coração. Como? Escutando a sua voz no íntimo do coração e percorrendo o caminho dos seus mandamentos.
Na segunda leitura, Paulo apresenta-nos um hino que propõe Cristo como a referência fundamental, como o centro à volta do qual se constrói a história e a vida de cada crente. O texto foge, um tanto, à temática geral das outras duas leituras; no entanto, a catequese sobre a centralidade de Cristo leva-nos a pensar na importância do que Ele nos diz no Evangelho de hoje. Se Cristo é o centro a partir do qual tudo se constrói, convém escutá-l’O atentamente e fazer do amor a Deus e aos outros uma exigência fundamental da nossa caminhada.

in CEP

terça-feira, 6 de julho de 2010

Parabens para o amigo Pedro Cardoso

Ontem, o nosso amigo Pedro Cardoso esteve de parabens,assim o centro local deixa as maiores felicidades e tudo de bom.bjinhos e abracinhos da malta.

domingo, 4 de julho de 2010

14º Domingo do Tempo Comum

Embora as leituras de hoje nos projectem em sentidos diversos, domina a temática do “envio”: na figura dos 72 discípulos do Evangelho, na figura do profeta anónimo que fala aos habitantes de Jerusalém do Deus que os ama, ou na figura do apóstolo Paulo que anuncia a glória da cruz, somos convidados a tomar consciência de que Deus nos envia a testemunhar o seu Reino.
É, sobretudo, no Evangelho que a temática do “envio” aparece mais desenvolvida. Os discípulos de Jesus são enviados ao mundo para continuar a obra libertadora que Jesus começou e para propor a Boa Nova do Reino aos homens de toda a terra, sem excepção; devem fazê-lo com urgência, com simplicidade e com amor. Na acção dos discípulos, torna-se realidade a vitória do Reino sobre tudo o que oprime e escraviza o homem.
Na primeira leitura, apresenta-se a palavra de um profeta anónimo, enviado a proclamar o amor de pai e de mãe que Deus tem pelo seu Povo. O profeta é sempre um enviado que, em nome de Deus, consola os homens, liberta-os do medo e acena-lhes com a esperança do mundo novo que está para chegar.
Na segunda leitura, o apóstolo Paulo deixa claro qual o caminho que o apóstolo deve percorrer: não o podem mover interesses de orgulho e de glória, mas apenas o testemunho da cruz – isto é, o testemunho desse Jesus, que amou radicalmente e fez da sua vida um dom a todos. Mesmo no sofrimento, o apóstolo tem de testemunhar, com a própria vida, o amor radical; é daí que nasce a vida nova do Homem Novo.

in CEP

terça-feira, 29 de junho de 2010

Programa da visita da Cruz da JMJ em Fornos de Algodres


in mergulha.org/Diocese de viseu

1º Aniversário de sacerdócio

Esta segunda -Feira, foi um dia especial para o Padre Bento, Padre joao Luis e Padre Leitão, uma vez que celebraram o primeiro aniversário de sacerdócio, todos ex alunos do nosso seminário s.Josè.
Por cá o Padre Bento para celebrar o evento, aconteceu na Capela de N.S.Milagres na muxagata.
Parabèns para todos em nome dos jovens.

Dia da Diocese – Ordenações Sacerdotais

Celebramos o Dia da Diocese, no encerramento deste Ano Pastoral que foi, também, Ano Sacerdotal. Fazemo-lo, recebendo a melhor prenda que nos poderia vir de Jesus, Sumo e Eterno Sacerdote: 4 novos Padres que vêm fazer parte do nosso Presbitério. Exultemos de alegria no Senhor!... Ele continua a olhar para nós com muito amor e a fazer em nós e para nós, grandes maravilhas!... Santo é o Seu Nome!... Caríssimos diáconos: Carlos Monge, Jorge Miguel, Luís Carlos e Marco Cabral, o Presbitério e toda a Diocese dão-vos as boas vindas!... Pelo vosso SIM – em inteira liberdade – como resposta ao chamamento amoroso de Deus, sereis, dentro de momentos, Sacerdotes na Igreja, Pastores a favor deste Povo que Deus tanto ama!... Todos vos saudamos com muita alegria, como saudamos e agradecemos o contributo que vos foi dado pelos vossos Pais e familiares, pelos vossos Párocos e Comunidades, pelos nossos Seminários e seus Responsáveis. Saudamos, também, todos quantos vos ajudaram no estágio pastoral e em todo o vosso percurso.
in ecclesia

Bispo de Viseu pede aos padres que se libertem da «pressão da comunicação social»

Quatro novos sacerdotes ordenados do Dia da Diocese
O Bispo de Viseu pediu este Domingo que os padres não se deixem “guiar pela opinião pessoal, pela pressão da comunicação social, pela moda, pelo aplauso e reconhecimento maioritários ou pela procura de uma posição social gratificante”.
Na celebração em que ordenou quatro novos sacerdotes, momento alto do dia da Diocese, D. Ilídio Leandro disse que esta opção “supõe o seguimento total – sem partilha com outros interesses ou com outras preferências – e exige uma orientação nova, toda direccionada para a Missão”.
“É na Missão que nós encontramos uma nova família, com o anúncio do Reino de Deus. Conduzidos pelo Espírito Santo, encontrar-nos-emos plenamente livres e compreenderemos a beleza e a liberdade da plenitude da Lei – o amor do próximo – que somos enviados a viver e a ensinar”, indicou.
Para o Bispo de Viseu, “vale a pena viver a consagração sem reservas, sem misturas, sem partilhas e sem alternativas”.
“Acreditai que Cristo é a maior e melhor gratificação para cada um de nós. Ele é o Tudo e o Máximo, que nos enche o coração”, observou.
Neste sentido, D. Ilídio Leandro considera que “a proximidade, o zelo, o amor a todos – a começar pelas crianças, pelos jovens, pelos doentes, pelos idosos, pelos pecadores, pelos pobres, pelos que se afastaram – são elementos a apontar os caminhos do nosso ministério, a fazer parte do nosso exame de consciência e avaliação pessoal e pastoral e a motivar-nos para a formação permanente, motivadora de um alegre espírito de comunhão, de uma serena fidelidade e de uma empenhada corresponsabilidade”.
“Não há beleza maior do que tornar Jesus presente na vida das pessoas. O Sacerdote fá-lo, por participação no Sacerdócio de Cristo, apresentando-O como Pão da Vida; como Perdão e princípio de autêntica conversão; como Caminho, Verdade e Vida; como Pastor que conhece, que apascenta, que procura e acolhe, que encontra e ama”, elencou.
Em conclusão, o Bispo de Viseu afirmou que “é muito bom saber que Deus nos ama, que nos é próximo e que vive em nós. É muito bom saber que Deus cuida da nossa vida e nos quer bem, apesar de nem sempre sermos bons”.
in ecclesia

13º Domingo do Tempo Comum

A liturgia de hoje sugere que Deus conta connosco para intervir no mundo, para transformar e salvar o mundo; e convida-nos a responder a esse chamamento com disponibilidade e com radicalidade, no dom total de nós mesmos às exigências do “Reino”.
A primeira leitura apresenta-nos um Deus que, para actuar no mundo e na história, pede a ajuda dos homens; Eliseu (discípulo de Elias) é o homem que escuta o chamamento de Deus, corta radicalmente com o passado e parte generosamente ao encontro dos projectos que Deus tem para ele.
O Evangelho apresenta o “caminho do discípulo” como um caminho de exigência, de radicalidade, de entrega total e irrevogável ao “Reino”. Sugere, também, que esse “caminho” deve ser percorrido no amor e na entrega, mas sem fanatismos nem fundamentalismos, no respeito absoluto pelas opções dos outros.
A segunda leitura diz ao “discípulo” que o caminho do amor, da entrega, do dom da vida, é um caminho de libertação. Responder ao chamamento de Cristo, identificar-se com Ele e aceitar dar-se por amor, é nascer para a vida nova da liberdade.

in CEP

domingo, 20 de junho de 2010

12º Domingo do Tempo Comum

A liturgia deste domingo coloca no centro da nossa reflexão a figura de Jesus: quem é Ele e qual o impacto que a sua proposta de vida tem em nós? A Palavra de Deus que nos é proposta impele-nos a descobrir em Jesus o “messias” de Deus, que realiza a libertação dos homens através do amor e do dom da vida; e convida cada “cristão” à identificação com Cristo – isto é, a “tomar a cruz”, a fazer da própria vida um dom generoso aos outros.
O Evangelho confronta-nos com a pergunta de Jesus: “e vós, quem dizeis que Eu sou?” Paralelamente, apresenta o caminho messiânico de Jesus, não como um caminho de glória e de triunfos humanos, mas como um caminho de amor e de cruz. “Conhecer Jesus” é aderir a Ele e segui-l’O nesse caminho de entrega, de doação, de amor total.
A primeira leitura apresenta-nos um misterioso profeta “trespassado”, cuja entrega trouxe conversão e purificação para os seus concidadãos. Revela, pois, que o caminho da entrega não é um caminho de fracasso, mas um caminho que gera vida nova para nós e para os outros. João, o autor do Quarto Evangelho, identificará essa misteriosa figura profética com o próprio Cristo.
A segunda leitura reforça a mensagem geral da liturgia deste domingo, insistindo que o cristão deve “revestir-se” de Jesus, renunciar ao egoísmo e ao orgulho e percorrer o caminho do amor e do dom da vida. Esse caminho faz dos crentes uma única família de irmãos, iguais em dignidade e herdeiros da vida em plenitude.
in CPE

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Cruz das Jornadas Mundiais da Juventude vai passar por Fornos de Algodres

A diocese da Guarda, que se juntou nesta actividade à vizinha diocese de Viseu, espera-se a cruz, no dia 12 de Agosto. Para realizar este trabalho conjunto com a diocese vizinha, ficou decidido concentrar as actividades numa localidade que tivesse a ver com ambas. Assim, as actividades decorrerão em Fornos de Algodres, dado que esta localidade faz parte da diocese de Viseu e do distrito da Guarda. Os jovens egitanienses terão oportunidade de se deslocar ao local através de transporte próprio do DPJG. A Cruz vai ser recebida a 8 de Agosto por representantes de todas as dioceses, durante a missa de encerramento da Peregrinação Europeia de Jovens, em Santiago de Compostela.
As datas da passagem da Cruz por Portugal são as seguintes: Dia 8: Viana / Braga; Dia 9: Vila Real / Bragança; Dia 10: Lamego / Porto; Dia 11: Aveiro; Dia 12: Viseu / Guarda; Dia 13: Algarve; Dia 14: Leiria-Fátima; Dia 15: Leiria-Fátima / Santarém; Dia 16: Coimbra / Portalegre; Dia 17: Lisboa / Setúbal; Dia 18: Ilhas; Dia 19: Ilhas; Dia 20: Beja / Évora / Partida para o Santuário de Lourdes (França), via Madrid.
A Cruz da JMJ ficou conhecida por diversos nomes: Cruz do Ano Santo, Cruz do Jubileu, Cruz da JMJ, Cruz Peregrina, muitos a chamam de Cruz dos Jovens porque ela foi entregue pelo Papa João Paulo II aos jovens para que a levassem por todo o mundo, a todos os lugares e a todo tempo.
A cruz de madeira de 3,8 metros foi construída e colocada como símbolo da fé católica, perto do altar principal na Basílica de São Pedro durante o Ano Santo da Redenção (Semana Santa de 1983 à Semana Santa de 1984). No final daquele ano, depois de fechar a Porta Santa, o Papa João Paulo II deu essa cruz como um símbolo do amor de Cristo pela humanidade.
in A guarda

domingo, 6 de junho de 2010

10º Domingo do Tempo Comum - festa da Profissão de fé

Para além do mais este Domingo, também fica marcado pela festa da Profissão de Fé de treze jovens desta nossa paróquia.
A dimensão profética percorre a liturgia da Palavra deste domingo, em Elias, o profeta da esperança e da vida, em Paulo, o profeta do Evangelho recebido de Deus, e, particularmente, em Jesus, o grande profeta que visita o seu povo em atitude de total oblação.
A primeira leitura apresenta-nos a figura da mulher de Sarepta, que significa a perda da esperança e o sentimento de derrota e de procura de um culpado, e a figura do profeta Elias, que acredita no Deus da vida, que não abandona o homem ao poder da morte, ressuscitando o filho da viúva.
No Evangelho, temos a revelação de Deus expressa na atitude de piedade e compaixão de Jesus no milagre da ressurreição do filho da viúva. Deus visita o seu povo em Jesus, “um grande profeta”, realizando o reino pela ressurreição, oferecendo a sua vida e dando-lhe pleno sentido.
Na segunda leitura, acolhemos a absoluta gratuidade da conversão de Paulo, para quem o Evangelho é uma força vital e criadora, que produz o que anuncia; a sua força é Deus. É uma força vital, uma dinâmica profética que ele recebeu directamente de Deus.
in ecclesia

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Dia do Corpo de Deus

Desde o século XII, quase não há em Portugal cidade ou lugar que prescinda da celebração da festa do Corpo de Deus, invocadora do "triunfo do amor de Cristo pelo Santíssimo Sacramento da Eucaristia".
A Solenidade Litúrgica do Corpo e Sangue de Cristo, conhecida popularmente como "Corpo de Deus", começou a ser celebrada há mais de sete séculos e meio, em 1246, na cidade de Liège, na actual Bélgica, tendo sido alargada à Igreja latina pelo Papa Urbano IV através da bula "Transiturus", em 1264, dotando-a de missa e ofício próprios.
Na origem, a solenidade constituía uma resposta a heresias que colocavam em causa a presença real de Cristo na Eucaristia, tendo-se afirmado também como o coroamento de um movimento de devoção ao Santíssimo Sacramento.
Teria chegado a Portugal provavelmente nos finais do século XIII e tomou a denominação de Festa de Corpo de Deus, embora o mistério e a festa da Eucaristia seja o Corpo de Cristo. Esta exultação popular à Eucaristia é manifestada no 60° dia após a Páscoa e forçosamente a uma Quinta-feira, fazendo assim a união íntima com a Última Ceia de Quinta-feira Santa. Em alguns países, no entanto, a solenidade é celebrada no Domingo seguinte.
Em 1311 e em 1317 foi novamente recomendada pelo Concílio de Vienne (França) e pelo Papa João XXII, respectivamente. Nos primeiros séculos, a Eucaristia era adorada publicamente, mas só durante o tempo da missa e da comunhão. A conservação da hóstia consagrada fora prevista, originalmente, para levar a comunhão aos doentes e ausentes.
Só durante a Idade Média se regista, no Ocidente, um culto dirigido mais deliberadamente à presença eucarística, dando maior relevo à adoração. No século XII é introduzido um novo rito na celebração da Missa: a elevação da hóstia consagrada, no momento da consagração. No século XIII, a adoração da hóstia desenvolve-se fora da missa e aumenta a afluência popular à procissão do Santíssimo Sacramento. A procissão do Corpo e Sangue de Cristo é, neste contexto, a última da série, mas com o passar dos anos tornou-se a mais importante.
Do desejo primitivo de "ver a hóstia" passou-se para uma festa da realeza de Cristo, na "Christianitas" medieval, em que a presença do Senhor bendiz a cidade e os homens.
Nos séculos XVI e XVII, a resposta às negações do movimento protestante que se expressou na fé e na cultura - arte, literatura e folclore - contribuiu para avivar e tornar significativas muitas das expressões da piedade popular para com a Eucaristia.
A "comemoração mais célebre e solene do Sacramento memorial da Missa" (Urbano IV) recebeu várias denominações ao longo dos séculos: festa do Santíssimo Corpo de Nosso Senhor Jesus Cristo; festa da Eucaristia; festa do Corpo de Cristo. Hoje denomina-se solenidade do Corpo e Sangue de Cristo, tendo praticamente desaparecido a festa litúrgica do "Preciosíssimo Sangue", a 1 de Julho.
A procissão com o Santíssimo Sacramento é recomendada pelo Código de Direito Canónico, no qual se refere que "onde, a juízo do Bispo diocesano, for possível, para testemunhar publicamente a veneração para com a santíssima Eucaristia faça-se uma procissão pelas vias públicas, sobretudo na solenidade do Corpo e Sangue de Cristo" (cân 944, §1).
O cortejo processional da solenidade do Corpo e Sangue de Cristo prolonga a Eucaristia: logo depois da missa, a hóstia nela consagrada é levada para fora do espaço celebrativo, a fim de que os fiéis dêem testemunho público de fé e veneração ao Santíssimo Sacramento.
A Igreja acredita que o Santíssimo Sacramento, ao passar no meio das cidades, promove expressões de amor e agradecimento por parte dos fiéis, sendo também para fonte de bênçãos.
À semelhança das procissões eucarísticas, a festa do "Corpus Christi" termina geralmente com a bênção do Santíssimo Sacramento.
in ecclesia

terça-feira, 1 de junho de 2010

A nossa Ana Teresa, no encontro de formação de animadores da juventude


No passado fim-de-semana de 29-30 de Maio de 2010, no Seminário Maior de Viseu, realizou-se o terceiro e último encontro de formação de animadores da juventude deste ano pastoral. Estiveram presentes 16 animadores da juventude das seguintes paróquias: Beijós, Carregal do Sal, Coração de Jesus, Dornelas, Fornos de Algodres, Penaverde, Ribafeita, Rio de Loba, S. João de Areias, Souto de Lafões, Viso.
Orientou este terceiro momento de formação o P. Jorge Castela, Director do Departamento de Pastoral Juvenil da Guarda, que, com a sua experiência de animador e a sua criatividade, pôs os nossos animadores a "mexerem-se". Realizando várias técnicas e dinâmicas, este grupo de animadores foi levado a questionar-se sobre os jogos que se iam fazendo e foram ajudados a pôr em prática tudo o que aprendeu nos cursos anteriores. Depois de ter abordado sumariamente a realidade sócio-cultural em que vivem os jovens de hoje, dentro do tema vasto das metodologias da Pastoral da Juventude, foram focados aspectos como: planificação, linguagem e técnicas de dinâmicas que se deverão ter em conta neste contexto que vivemos com os nossos jovens.
No domingo à tarde celebrámos a Solenidade da Santíssima Trindade, fazendo deste mistério de unidade e diversidade o alicerce da nossa missão de animadores. Estes animadores serão indicados aos respectivos Vigários da Zona Pastoral como animadores aptos no que toca à formação específica para, por sua vez, serem apresentados por eles aos Sr. Bispo que, em tempo oportuno os nomeará com o Ministério de Animadores da Juventude.
Ficou expressa a vontade de continuarmos a encontrar-nos para actualizar a experiência realizada nestes três momentos de formação e, inclusivamente, fazermos algumas experiências "laboratório" em que os animadores poderão experimentar dinâmicas uns com os outros, para depois poderem realizá-las com o grupo de jovens que aocmpanham.
im mergulha.org

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Dia Mundial da Criança

Comemora-se um pouco por toda a parte, de variadas maneiras
O primeiro Dia Mundial da Criança foi em 1950. Após a 2ª Guerra Mundial, em 1945, os países da Europa, Oriente Médio e China, entraram em crise. As populações destes países viviam muito mal, em especial as crianças. Os adultos estavam preocupados em retornar a sua vida cotidiana normal, relegando a educação a último plano. Muitos ficaram órfãos, e muitos que tinham ainda seus pais vivos tiveram de ir trabalhar pesado para contribuir para o sustento da família.
Foi quando em 1946, a ONU (Organização das Nações Unidas), começou a tentar mudar esta situação, deu-se então o surgimento da UNICEF que é conhecida mundialmente pelo que faz pelas crianças em todo o mundo!
Apesar de todos os esforços na altura, ainda era difícil fazer com que o mundo olhasse para os direitos das crianças, então em 1950 a Federação Democrática Internacional das Mulheres, propos a ONU que fosse criado um dia dedicado as crianças em todo o mundo. * Este dia foi comemorado pela primeira vez em 1 de Junho de 1950.
in wikipedia

Parabens para a amiga Cátia

Parabéns, mtos anos e coisas boas e muitas felicidades, bjinhos de todos os teus amigos JMV

domingo, 30 de maio de 2010

Oração simples à Santíssima Trindade

Pai, Filho e Espírito Santo,
Santíssima Trindade acompanhai-me toda a vida,
dai-me sempre guarida, tende de mim piedade,
Pai Eterno, ajudai-me,
Verbo de Deus, abençoai-me,
Espírito Santo, alcançai-me protecção, honra e virtude,
nunca a soberba me ataque
e sempre busque o bem,
com a Santíssima Trindade para sempre.

Amen.

in Paroquias.org

SOLENIDADE DA SANTÍSSIMA TRINDADE

IX DOMINGO DO TEMPO COMUM - ANO C

A Solenidade que hoje celebrámos não é um convite a decifrar a mistério que se esconde por detrás de “um Deus em três pessoas”; mas é um convite a contemplar o Deus que é amor, que é família, que é comunidade e que criou os homens para os fazer comungar nesse mistério de amor.
A primeira leitura sugere-nos a contemplação do Deus criador. A sua bondade e o seu amor estão inscritos e manifestam-se aos homens na beleza e na harmonia das obras criadas (Jesus Cristo é “sabedoria” de Deus e o grande revelador do amor do Pai).
A segunda leitura convida-nos a contemplar o Deus que nos ama e que, por isso, nos “justifica”, de forma gratuita e incondicional. É através do Filho que os dons de Deus/Pai se derramam sobre nós e nos oferecem a vida em plenitude.
O Evangelho convoca-nos, outra vez, para contemplar o amor do Pai, que se manifesta na doação e na entrega do Filho e que continua a acompanhar a nossa caminhada histórica através do Espírito. A meta final desta “história de amor” é a nossa inserção plena na comunhão com o Deus/amor, com o Deus/família, com o Deus/comunidade.
in evangelho quotidiano

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Parabéns para a amigo Jerome

Parabéns, muitas felicidades e que este dia tenha sido muito animado e com muita alegria, beijinhos e abraços dos elementos do centro local .

domingo, 23 de maio de 2010

Bento XVI pede unidade entre todos os católicos

Papa quer que a Igreja seja «casa de todos» para lá de limites políticos, de raça ou culturais
Bento XVI apelou este Domingo à unidade no seio da Igreja Católica, pedindo que a mesma seja uma “casa” para todos, ultrapassando limites políticos, de raça ou culturais.
A este respeito, o Papa lembrou a sua experiência pessoal em Fátima, nos dias 12 e 13 de Maio.
“De facto, o que é que viveu aquela imensa multidão, na esplanada do Santuário, onde todos nós éramos um só coração e uma só alma, senão um renovado Pentecostes? No meio de nós estava Maria, a Mãe de Jesus”, referiu a milhares de peregrinos reunidos no Vaticano.
in ecclesia

Domingo da Solenidade de Pentecostes

O tema deste domingo é, evidentemente, o Espírito Santo. Dom de Deus a todos os crentes, o Espírito dá vida, renova, transforma, constrói comunidade e faz nascer o Homem Novo.
O Evangelho apresenta-nos a comunidade cristã, reunida à volta de Jesus ressuscitado. Para João, esta comunidade passa a ser uma comunidade viva, recriada, nova, a partir do dom do Espírito. É o Espírito que permite aos crentes superar o medo e as limitações e dar testemunho no mundo desse amor que Jesus viveu até às últimas consequências.
Na primeira leitura, Lucas sugere que o Espírito é a lei nova que orienta a caminhada dos crentes. É Ele que cria a nova comunidade do Povo de Deus, que faz com que os homens sejam capazes de ultrapassar as suas diferenças e comunicar, que une, numa mesma comunidade de amor, povos de todas as raças e culturas.
Na segunda leitura, Paulo avisa que o Espírito é a fonte de onde brota a vida da comunidade cristã. É Ele que concede os dons que enriquecem a comunidade e que fomenta a unidade de todos os membros; por isso, esses dons não podem ser usados para benefício pessoal, mas devem ser postos ao serviço de todos.
in CEP

terça-feira, 18 de maio de 2010

Parabéns Ariana pelas conquistas

Deixamos aqui os resultados da nossa amiga Ariana que esteve no Mundial e arrecadou uma medalha de Prata e outra de Bronze.
KATA INDIVIDUAL FEM 16/ 17
1º POR - ABREU, IOLANDA
POR - PARAÍSO, ARIANA
3º SAN - GREYVENSTEIN, SANCA
3º SWE - LUNDSTROM, EMELIE

KUMITE INDIVIDUAL FEM 16/ 17 HEAVY
1º SAS - FOX, ANDREA
2º SAS - VAN WYK, MARISA
3º USA - TUESTAD, TALIN
3º POR - PARAÍSO, ARIANA

D. Ilídio Leandro faz balanço positivo da visita do Papa

Bispo de Viseu pede justiça no combate à crise, seguindo orientações deixadas por Bento XVI
D. Ilídio Leandro, Bispo de Viseu, considera que a visita do Papa a Portugal deixou claro que "o Evangelho é essencial ao sentido da vida, apelando à esperança e à descoberta da Verdade".
Num encontro com jornalistas, a propósito do Dia Mundial das Comunicações Sociais, D. Ilídio Leandro começou por regozijar-se com o trabalho dos jornalistas que acompanharam a visita de Bento XVI, considerando que o seu trabalho foi "inexcedivelmente positivo".
Segundo o Bispo de Viseu, o Papa insistiu que "a Igreja tem de ser fermento na sociedade, com atenção e cuidado especial aos mais frágeis, proporcionando um nova Primavera, onde parece que se instalou um permanente e sofrido Inverno."
D. Ilídio Leandro afirmou que "o Papa sentiu-se bem em Portugal, foi feliz de Portugal e esta viagem serviu para ele sentir que a Igreja percebe a sua mensagem".
Interpelado por um jornalista sobre se o anúncio das medidas restritivas apresentadas pelo Governo se valeu do "ambiente de alegria criado pelo Papa", o prelado afirmou que "talvez o interior animado e cheio de contentamento ajude as pessoas a aceitarem o sofrimento, para que Portugal renasça da crise".
D. Ilídio Leandro deixou claro que "o sacrifício dos que têm emprego e salário é necessário e justo para socorrer os que não têm: quem mais ganha, mais deve pagar", considerando "escandalosos e inadmissíveis os bónus a gestores de empresas falidas ou carregadas de défices acumulados e suportados pelos dinheiros públicos".
in ecclesia

segunda-feira, 10 de maio de 2010

O Papa está a chegar a Portugal

Prontos para receber o Papa
Edição Especial do Semanário da Agência Ecclesia sobre a preparação da visita do Papa a Portugal e apresentação dos pormenores do programa da visita.
O anúncio da visita do Papa Bento XVI a Portugal, a 24 de Setembro de 2009, corresponde ao início de um trabalho de planeamento, avaliação de recursos e programação dos vários momentos de visita do Papa.
Nas três dioceses que o Papa visita, mobilizaram-se forças e a criatividade de muitas pessoas, de instituições religiosas e públicas que permitem 4 dias de celebração da fé católica e da afirmação de propostas para a vida em sociedade.
Esta Edição Especial Digital da Agência Ecclesia, na semana em que o Papa está em Portugal, reúne a informação essencial acerca da preparaçãoda visita, publica as entrevistas com os Bispos das três dioceses que acolhem o Papa e com o Presidente da Conferência Episcopal Portuguesa.
Publica-se também a opinião de muitas personalidades da sociedade portuguesa que, ao longo das últimas semanas, escreveram na Agência Ecclesia sobre as expectativas desta visita.
Ao programa, já conhecido, acrescenta-se, logo nas primeiras páginas, um conjunto abundante de pormenores acerca de como decorrerão os diferentes encontros e celebrações com o Papa Bento XVI entre os dias 11 e 14 de Maio, em Lisboa, Fátima e Porto.

6º Domingo do Tempo Pascal

Na liturgia deste domingo sobressai a promessa de Jesus de acompanhar de forma permanente a caminhada da sua comunidade em marcha pela história: não estamos sozinhos; Jesus ressuscitado vai sempre ao nosso lado.
No Evangelho, Jesus diz aos discípulos como se hão-de manter em comunhão com Ele e reafirma a sua presença e a sua assistência através do “paráclito” – o Espírito Santo.
A primeira leitura apresenta-nos a Igreja de Jesus a confrontar-se com os desafios dos novos tempos. Animados pelo Espírito, os crentes aprendem a discernir o essencial do acessório e actualizam a proposta central do Evangelho, de forma que a mensagem libertadora de Jesus possa ser acolhida por todos os povos.
Na segunda leitura, apresenta-se mais uma vez a meta final da caminhada da Igreja: a “Jerusalém messiânica”, essa cidade nova da comunhão com Deus, da vida plena, da felicidade total.
in CEP

terça-feira, 4 de maio de 2010

FATIMA JOVEM 2010 - Um sucesso



Participantes no FatimaJovem 2010 escreveram uma carta para Bento XVI que vai ser entregue no dia 13 de Maio
2680 jovens não deixaram o Santuário de Fátima dormiu na noite de 1 para 2 de Maio. Uma «Directa com Maria» tomou conta deste santuário mariano num momento de “grande sinergia” entre o jovens, a pastoral juvenil e o Santuário de Fátima.
Uma noite cheia de actividades mostrou que uma directa “não serve apenas para se estar acordado”, explica o Director do Departamento Nacional da Pastoral Juvenil - DNPJ, o Pe Pablo Lima, mas para “uma linha directa” com o objectivo de “aprofundar a fé, a relação com Jesus e conhecer melhor Maria”.
A organização superou as expectativas. No número – estiveram presentes 18 das 20 dioceses portuguesas e oito movimentos juvenis – e na afluência às propostas que “apesar do cansaço durante a noite não conheceram quebra”.
A «Directa com Maria», como este ano se chamou a actividade nacional que congrega os jovens, Fátima Jovem, foi uma aposta ganha na visão do Pe Pablo Lima. As iniciativas podem não se repetir mas as “boas intuições são de manter”.
“A proposta tinha qualidade e foi bem cuidada, quer pelos movimentos como pelos secretariados diocesanos. O resultado evidenciou o bem estar sentido entre os jovens”.
Um concerto de abertura dava o mote para uma noite que contou sempre com música. Houve também um espaço «lounge», alimentação durante toda a noite e uma vigília de oração. No final da noite a Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima foi pequena para acolher os 2680 jovens que atentamente escutaram a homilia D. Ilídio Leandro.
Na eucaristia que encerrou a noite dos jovens, pelas seis horas da manhã, o bispo de Viseu apelou ao espírito inquieto da juventude, salientando a sua sensibilidade para a esperança e concretização de sonhos.
“É hora de acordar do sono da preguiça e indiferença, de acreditar na força da esperança, de iniciar a fase da mudança e de concretizar realidades diferentes”,
apelou o vogal da Comissão Episcopal do Laicado e da Família, que o DNPJ integra.
Frisou o bispo que se vive um momento de “apelo à mudança” especialmente dirigido à “juventude cristã”.
“Precisamos de gritar que há vida, apesar e para lá da crise e que essa vida nasce do amor, a grande fonte da solidariedade, da justiça social, da partilha de sonhos, de projectos, de comunhão, de vida”.
Afirmou ainda o bispo de Viseu que a «Directa com Maria» precisa ter “consequências”.
Os jovens precisam por isso de “actuar na renovação da vida e na transformação das estruturas”, apelou o Bispo, indicando ainda que Bento XVI, que estará em Portugal dentro de uma semana, deverá sentir o entusiasmo dos jovens.
“Fazei-o sentir ao Papa, que aí vem para estar connosco e para nos confirmar na fé e apontar a esperança”.
Também a Pastoral Juvenil espera “consequências na sociedade, nas estruturas e na vida da Igreja que tanto precisa da irreverência, alegria e ousadia dos jovens”.
O Pe. Pablo Lima afirma mesmo que o “Fátima jovem foi motivo de alento e empurrão de qualidade na vida dos jovens”.
Ao Papa os jovens presentes em Fátima endereçaram uma carta onde afirmam esperar “com imensa alegria a visita” apostólica e “rezar por Sua Santidade”.
“Quando receber em suas mãos esta carta, nós estaremos espalhados um pouco por todo o lado onde passar o Santo Padre Bento XVI e, em espírito, Vos daremos um forte abraço”, escrevem os jovens.
Esta missiva vai ser entregue a Bento XVI, no próximo dia 13 em Fátima. Será D. Ilídio Leandro e D. António Carrilho, Presidente da Comissão Episcopal do Laicado e Família, que o DNPJ integra, a entregar ao Papa a carta escrita pelos jovens. O Pe Pablo Lima traduz um sinal de comunhão “ecclesial”.
Em Fátima foram ainda soltos balões a lembrar o dia da mãe mas também a visita apostólica de Bento XVI.
O Director do DNPJ afirma que “o Papa esteve presente em toda a actividade”, lembrando o forte aplauso que a sala Paulo VI acolheu quando a visita apostólica foi mencionada.
in ecclesia

5º Domingo do Tempo Pascal

O tema fundamental da liturgia deste domingo é o do amor: o que identifica os seguidores de Jesus é a capacidade de amar até ao dom total da vida.
No Evangelho, Jesus despede-Se dos seus discípulos e deixa-lhes em testamento o “mandamento novo”: “amai-vos uns aos outros, como Eu vos amei”. É nessa entrega radical da vida que se cumpre a vocação cristã e que se dá testemunho no mundo do amor materno e paterno de Deus.
Na primeira leitura apresenta-se a vida dessas comunidades cristãs chamadas a viver no amor. No meio das vicissitudes e das crises, são comunidades fraternas, onde os irmãos se ajudam, se fortalecem uns aos outros nas dificuldades, se amam e dão testemunho do amor de Deus. É esse projecto que motiva Paulo e Barnabé e é essa proposta que eles levam, com a generosidade de quem ama, aos confins da Ásia Menor.
A segunda leitura apresenta-nos a meta final para onde caminhamos: o novo céu e a nova terra, a realização da utopia, o rosto final dessa comunidade de chamados a viver no amor.
in CEP

Poema para a Mãe

O Amor da mãe pode ser traduzido
em uma palavra:
doação.
Falar desse sentimento é entender que ele
é a mais completa forma de amor.
Um amor que se doa,
coloca em primeiro plano o bem-estar,
a segurança de um outro ser.
Impossível falar de mãe
sem falar da pureza de um amor,
que diante de todo o sofrimento disse Sim: Maria.
Uma mãe que,
como tantas mães em nosso país,
olha com lágrimas nos olhos o presente
e o futuro árduo do filho.
Talvez seja por isso que a mãe Maria
se expressa em cada olhar de mãe,
em cada gesto de doação da mulher.
No rosto de uma mulher que assume
a maternidade inteiramente,
mesmo diante de tudo o que há de vir,
há a presença iluminada de um lado vivo,
mas esquecido por todos,
homens e mulheres:
O AMOR!!!!

Autor desconhecido

sexta-feira, 30 de abril de 2010

«Fátima Jovem» em directo na Internet

Participantes preparam surpresa para o Papa
A peregrinação nacional da juventude católica, “Fátima Jovem 2010”, terá uma cobertura noticiosa em constante actualização através da página do Departamento Nacional da Pastoral Juvenil (DNPJ), em http://ecclesia.pt/pjuvenil
A iniciativa decorre na madrugada de 1 para 2 de Maio e os participantes preparam uma surpresa para Bento XVI, genericamente apresentada como um “gesto singelo de carinho”.
Após cada etapa (concerto de abertura; procissão de velas; vigília; cine-fórum…) será disponibilizada uma notícia com reportagem fotográfica e pequeno excerto de vídeo, de modo a todos os jovens – mesmo aqueles que não puderam participar – terem contacto com a sua Peregrinação Nacional.
Esta cobertura corresponde também à vontade de que o “Fátima Jovem” seja o mais abrangente possível, refere a organização do evento.
A entrega de materiais ocorrerá às 14h00 do Sábado, 1 de Maio, no Centro Pastoral Paulo VI, e a equipa de trabalho do DNPJ estará a trabalhar no local desde o dia anterior.
in ecclessia

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Fátima: programa oficial da Peregrinação de Maio anunciado pelo Santuário

O programa oficial com todas as actividades de Bento XVI em Portugal, e em Fátima, foi tornado público pelo Vaticano a 25 de Março e o Santuário anuncia agora no cartaz do mês de Maio, já disponível no site oficial do Santuário na Internet, todo o programa da Peregrinação, incluindo os momentos em que o Santo Padre estará presente.
Embora sem grandes alterações relativamente ao programa habitual proposto aos peregrinos para os dias da Peregrinação Aniversária de Maio, mas tendo em conta a presença do Papa, o Santuário procedeu a alguns pequenos ajustes nos horários das celebrações, em especial no dia 12.
Habitualmente, a 12 de Maio celebra-se, no Recinto, às 16:30, uma Missa, com a participação dos doentes, seguida de procissão Eucarística, e às 18:30 decorre, na Capelinha das Aparições, o início oficial da Peregrinação, com a saudação a Nossa Senhora e aos peregrinos.
No próximo mês de Maio, para a tarde do dia 12, está marcada, para as 16:00, uma procissão Eucarística, no Recinto, e, às 17:30, a chegada do Santo Padre à Capelinha das Aparições e o início oficial da Peregrinação Internacional Aniversária.
Programa disponível aqui
in ecclesia

segunda-feira, 26 de abril de 2010

4º Domingo do Tempo Pascal

O 4º Domingo do Tempo Pascal é considerado o “Domingo do Bom Pastor”, pois todos os anos a liturgia propõe um trecho do capítulo 10 do Evangelho segundo João, no qual Jesus é apresentado como Bom Pastor. É, portanto, este o tema central que a Palavra de Deus hoje nos propõe.
O Evangelho apresenta Cristo como o Bom Pastor, cuja missão é trazer a vida plena às ovelhas do seu rebanho; as ovelhas, por sua vez, são convidadas a escutar o Pastor, a acolher a sua proposta e a segui-l’O. É dessa forma que encontrarão a vida em plenitude.
A primeira leitura propõe-nos duas atitudes diferentes diante da proposta que o Pastor (Cristo) nos apresenta. De um lado, estão essas “ovelhas” cheias de auto-suficiência, satisfeitas e comodamente instaladas nas suas certezas; de outro, estão outras ovelhas, permanentemente atentas à voz do Pastor, que estão dispostas a arriscar segui-l’O até às pastagens da vida abundante. É esta última atitude que nos é proposta.
A segunda leitura apresenta a meta final do rebanho que seguiu Jesus, o Bom Pastor: a vida total, de felicidade sem fim.
in ecclesia

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Vaticano divulga números oficiais da Igreja Católica em Portugal

Dados falam em 88,3% de católicos, menos padres e várias obras na área social
O Vaticano divulgou esta Quinta-feira os números oficiais da Igreja Católica em Portugal, os quais falam numa percentagem de católicos de 88,3% da população, confirmando ainda a quebra no número de padres.Os dados disponibilizados pela sala de imprensa da Santa Sé referem-se à situação no dia 31 de Dezembro de 2008.
De 2000 a 2008, o número de sacerdotes diocesanos baixou de 3159 para 2825 (menos 11%), enquanto que o clero religioso desceu de 1078 para 972 (uma quebra de quase 10%).
Os seminaristas de filosofia e teologia também são menos, segundo os últimos dados disponíveis: de 547, entre diocesanos e religiosos, em 2000 passou-se para 444 em 2008 (menos 19%).
Segundo o Vaticano, a percentagem de católicos em Portugal é de 88,3% dos habitantes - 9,36 milhões de católicos para uma população de 10,6 milhões de pessoas.O Recenseamento da Prática Dominical, datado de 2001, mostrava que o número total de praticantes não chegava, contudo, aos 2 milhões de fiéis.
A Igreja Católica em Portugal conta com 52 Bispos, 3797 padres, 212 diáconos permanentes, 312 religiosos e 5965 religiosas, para além de 594 membros de Institutos seculares.
O número de catequistas é de 63 906 num total de 4380 paróquias e 2878 outros centros pastorais, espalhados por 21 Dioceses.
Um dado curioso diz respeito aos titulares das Dioceses: desde o ano 2000, foram 13 as Dioceses que passaram a ser lideradas por um novo Bispo.
O Vaticano elenca também os centros escolares que são propriedade da Igreja ou são dirigidos pelos seus membros: há 793 estabelecimentos até à primária, 80 secundários e 26 institutos superiores e a UCP, servindo um total de quase 130 mil alunos.
Quanto a “centros caritativos e sociais” são contabilizados 43 hospitais, 155 ambulatórios, 799 casas para idosos, 663 orfanatos ou asilos, 55 consultórios familiares e centros para a protecção da vida, 462 centros educativos especiais e 168 outras instituições.
in ecclesia

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Semana das Vocações

Decorre até ao dia 25 a 47ª Semana das Vocações. A Mensagem do Papa para esta Semana centra-se na importância do testemunho para a adesão ao chamamento que Deus faz a cada um para ser feliz, servindo os outros e, neles, servir a Deus, como instrumento do Bem que Ele quer para todos.
Em Ano Sacerdotal, como é o que decorre, vem a propósito reflectir sobre a importância das vocações de consagração na vida da Igreja. "A fecundidade da proposta vocacional é favorecida também pela qualidade e riqueza do testemunho pessoal e comunitário de todos aqueles que já responderam ao chamamento do Senhor no ministério sacerdotal e na vida consagrada", diz Bento XVI na sua Mensagem. E convida "todos aqueles que o Senhor chamou para trabalhar na Sua vinha a renovarem a sua fidelidade de resposta".
"Jesus, o enviado do Pai, testemunha o amor de Deus por todos os homens sem distinção, com especial atenção pelos últimos, os pecadores, os marginalizados, os pobres", diz Bento XVI. E afirma igualmente que "Deus serve-se do testemunho de sacerdotes fiéis à sua missão, para suscitar novas vocações sacerdotais e religiosas para o serviço do Seu Povo."
Para um testemunho eficaz, o Papa indica como necessário que o consagrado mantenha uma estreita e íntima amizade com Cristo, escutando a Sua Palavra e dedicando tempo à oração. Igualmente necessário é o "dom de si mesmo a Deus" na pessoa daqueles "que a Providência lhe confia no ministério pastoral, com dedicação plena, contínua e fiel e com a alegria de fazer-se companheiro de viagem de muitos irmãos", "por amor do Reino dos Céus." Por fim, como terceiro elemento importante no testemunho é o sacerdote mostrar-se "homem de comunhão, aberto a todos, capaz de fazer caminhar unido todo o rebanho que a bondade do Senhor lhe confiou, ajudando a superar divisões, sanar lacerações, aplanar contrastes e incompreensões, perdoar as ofensas".
Sacerdotes e religiosos (as) são "sinais de contradição" neste mundo inspirado pelo materialismo, pelo egoísmo e pelo individualismo. "Fiel à sua vocação, cada presbítero, cada consagrado e cada consagrada transmite a alegria de servir a Cristo, e convida todos os cristãos a responderem à vocação universal à santidade", conclui o Papa, desafiando os jovens a "opções existenciais e concretas", que "envolvam o próprio futuro".
in ecclesia

Noticias da diocese vizinha

Guarda: Trovadores de Deus venceram Festival Diocesano Jovem da Canção
“Firmes no Amor”, do Grupo “Trovadores de Deus”, de Celorico da Beira, foi a canção vencedora do Festival Diocesano Jovem da Canção que decorreu na tarde de 17 de Abril, no Sabugal. A iniciativa fez parte do programa do Dia Diocesano da Juventude, que congregou centenas de Jovens naquela cidade raiana.
A canção vencedora arrecadou também o Prémio “Melhor Música”.
Em segundo lugar ficou a canção “Hino à Fé”, do Grupo da Associação Cultural e Recreativa Fernão Joanes, que também foi distinguida com o Prémio “Melhor Interpretação”.
O terceiro lugar foi para a canção “Raízes”, interpretada pelo grupo “+ Jovem”, que congregava elementos de Paços, Eirô e S. Marinha. Esta canção foi distinguida com o Prémio “Melhor Letra”.
Com esta vitória, o Grupo “Trovadores de Deus” vai representar a diocese da Guarda no Festival Nacional da Canção da Mensagem 2010, a realizar em Fátima, no dia 1 de Maio.
No rescaldo do Festival, o Padre Jorge Castela, Responsável pelo Departamento da Pastoral Juvenil da Diocese da Guarda, disse, ao Jornal “A Guarda”, estar “muito satisfeito com a qualidade dos participantes, pois apresentaram diversos estilos musicais”. E acrescentou: “houve uma qualidade muito acrescida, este ano”.
in ecclesia

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Parabens para a amiga Rafaela

Que este dia tenha sido feliz, para esta nossa amiga,felicidades na vida académica.
Muitos anos de vida e muitas coisas boas,beijinhos.

3º Domingo do Tempo Pascal

A liturgia deste 3º Domingo do Tempo Pascal recorda-nos que a comunidade cristã tem por missão testemunhar e concretizar o projecto libertador que Jesus iniciou; e que Jesus, vivo e ressuscitado, acompanhará sempre a sua Igreja em missão, vivificando-a com a sua presença e orientando-a com a sua Palavra.
A primeira leitura apresenta-nos o testemunho que a comunidade de Jerusalém dá de Jesus ressuscitado. Embora o mundo se oponha ao projecto libertador de Jesus testemunhado pelos discípulos, o cristão deve antes obedecer a Deus do que aos homens.
A segunda leitura apresenta Jesus, o “cordeiro” imolado que venceu a morte e que trouxe aos homens a libertação definitiva; em contexto litúrgico, o autor põe a criação inteira a manifestar diante do “cordeiro” vitorioso a sua alegria e o seu louvor.
O Evangelho apresenta os discípulos em missão, continuando o projecto libertador de Jesus; mas avisa que a acção dos discípulos só será coroada de êxito se eles souberem reconhecer o Ressuscitado junto deles e se deixarem guiar pela sua Palavra.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Parabens para a amiga Patricia Cabral

Que este dia seja um dia feliz, para esta nossa amiga,felicidades na vida académica.
Muitos anos de vida e muitas coisas boas,beijinhos.

PARABENS.......................

domingo, 11 de abril de 2010

Parabéns para a amiga Sara

Que este dia seja um dia feliz, para esta nossa amiga,felicidades na vida académica.
Muitos anos de vida,beijinhos.

2º Domingo do Tempo Pascal

A liturgia deste domingo põe em relevo o papel da comunidade cristã como espaço privilegiado de encontro com Jesus ressuscitado.
O Evangelho sublinha a ideia de que Jesus vivo e ressuscitado é o centro da comunidade cristã; é à volta d’Ele que a comunidade se estrutura e é d’Ele que ela recebe a vida que a anima e que lhe permite enfrentar as dificuldades e as perseguições. Por outro lado, é na vida da comunidade (na sua liturgia, no seu amor, no seu testemunho) que os homens encontram as provas de que Jesus está vivo.
A segunda leitura insiste no motivo da centralidade de Jesus como referência fundamental da comunidade cristã: apresenta-O a caminhar lado a lado com a sua Igreja nos caminhos da história e sugere que é n’Ele que a comunidade encontra a força para caminhar e para vencer as forças que se opõem à vida nova de Deus.
A primeira leitura sugere que a comunidade cristã continua no mundo a missão salvadora e libertadora de Jesus; e quando ela é capaz de o fazer, está a dar testemunho desse Cristo vivo que continua a apresentar uma proposta de redenção para os homens.
in CPE

Crisma Arciprestal em Infias

Uma verdadeira enchente, com o numero de Crismandos a ultrapassar a meia centena, apesar de a Igreja de Infias ser pequena, todos puderam assistir a esta bela cerimónia presidida pelo nosso Bispo D.Ilidio,onde todos estiveram muito bem, uma tarde inesquecivel para todos certamente.

Parabens para a amiga Guida

Muitos parabens, que este dia tenha sido maravilhoso com muitas coisas boas, beijinhos

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Igreja prepara-se para a Semana de Oração pelas Vocações

“Olha bem à tua volta. Há mais gente como tu!” é o convite que sobressai no cartaz da 47.ª Semana de Oração pelas Vocações, que vai decorrer entre 18 e 25 de Abril.
O grafismo destaca também um endereço da rede social do Facebook que pede aos leitores para descrever como descobriram a sua vocação.
A página inclui vídeos com depoimentos de jovens, a mensagem do Papa para esta Semana, a oração “Rezar para testemunhar” e os contactos dos Secretariados Diocesanos da Pastoral das Vocações, entre outros conteúdos.
A Comissão Episcopal Vocações e Ministérios mantém igualmente a presença no site “MySpace”.
O tema escolhido para este ano – “O testemunho suscita vocações” – sublinha que o exemplo dos padres é fundamental para obter respostas afirmativas ao chamamento que Deus faz à vida sacerdotal e consagrada.
Na mensagem que escreveu para o Dia Mundial de Oração pelas Vocações – 25 de Abril – Bento XVI salienta que a “amizade com Cristo”, que se expressa e alimenta da oração, deve ser o testemunho prioritário.
O Papa sublinha que os padres devem dedicar totalmente a vida a Deus, dado que esse exemplo é fonte de atracção: “A história de cada vocação cruza-se quase sempre com o testemunho de um sacerdote que vive jubilosamente a doação de si mesmo aos irmãos por amor do Reino dos Céus”.
“Os jovens – avisa Bento XVI – se virem os sacerdotes isolados e tristes, com certeza não se sentirão encorajados a seguir o seu exemplo. Levados a considerar que tal possa ser o futuro de um padre, vêem aumentar a sua hesitação.”
Pelo contrário, a fidelidade e o testemunho dos religiosos que se “deixam conquistar por Deus renunciando a si mesmos, continuam a suscitar no ânimo de muitos jovens o desejo de, por sua vez, seguirem Cristo para sempre, de modo generoso e total”, refere o Papa.
in ecclesia